sábado, 31 de janeiro de 2009

O curioso caso de Benjamin e Cynthia.








Preciso entender muitas coisas. Coisas banais principalmente. Manias que eu criei, café, jornal, cheiro de canela, vícios de óculos de grau, observar placas de carro e quais seus municípios (descobri que Feliz Natal no Mato Grosso é uma cidade), azeite, enfim.



Dentre outras, que por mais que eu tente entender, prefiro vivenciar, que é a arte de envelhecer. Prestes a completar 21 anos, pensamentos assim estão frequentemente saltitando em minha mente. Quem vê assim pensa que eu estou criando rugas antecipadamente, mas quando falo aqui não digo sobre o que a lei da gravidade vai se encarregar de fazer, mas como a maturidade vai chegar até a mim e a forma como irei recebê-la.



Para entender um pouco sobre, O curioso caso de Benjamin Button ajuda muito. Vivenciar a infância em um corpo já abalado pelo tempo é uma forma peculiar de ver que a vida realmente segue uma linha certa. Você nasce, cresce, se reproduz, e depois traiçoeiramente morre, no caso do filme tudo vem ao contrário. É muita reflexão para uma sala de cinema.



O filme conta a história de uma criança "nascida sobre circuntâncias incomuns" que vem ao mundo no auge da euforia americana pós I guerra, e que começa a rejuvencer de uma forma inexplicável. Simultaneamente, uma mulher em estado terminal conta à sua filha histórias de sua vida, que tem como protagonista Benjamin. Ao mesmo tempo que um rejuvenesce o outro envelhece, em que em algum momento de suas vidas eles irão se encontrar com a mesma idade, e ai sim, irá começar uma contagem regressiva de ciclos de vida inversos.



É um filme bem estruturado, com algumas tiradas leves de humor e cheio de mensagens. A maquiagem estava perfeita, e pelo pouco que entendo de fotografia também.



Não é pra tanto que o filme foi indicado 13 vezes ao oscar, no qual eu acho um exagero, o filme é bom, ótimo, mas vamos abrir mais portas não é mesmo? As indicações foram as seguintes: melhor filme, melhor diretor, melhor ator,melhor atriz coadjuvante, melhor roteiro adaptado, melhor direção de arte, melhor fotografia, melhor mixagem de som, melhor trilha sonora original, melhor figurino, melhor edição, melhor efeitos especiais, e ufa, melhor maquiagem. Eu sinceramente não sei em qual aposto, seria injusto uma vez que não assisti nenhum dos outros filmes indicados (que vergonha Cynthia, que vergonha), mas estou aberta a dicas.



Lembrando que o Oscar ocorrerá dia 22/02, e que certamente não será transmitido na TV aberta, pois período de carvanal não se mostra nada além de escola de samba, bunda, passistas, e aqueles carros alegóricos que custam uma fortuna.






Então é isso, tenho de uma porção filmes pra comentar, mas como Benjamin está mais em evidência, decidi fazer um esquenta para o oscar, como também alguma das minhas reflexões. Infelizmente não achei a foto mais linda que achei do filme inteiro que é a que Daisy já na velhice beija os lábios Benjamin bebê. Talvez o cartaz do filme tenha ficado bom.


Aproveitem a leitura e um ótimo final de semana.



7 comentários:

Jofran disse...

ótima relação q vc faz entre os seus novos hábitos e os de benjamin... =]

é um filme daqueles que você não esquece nunca, muito mais pela peculiaridade do que por qualquer outra coisa... por isso tb acredito que foi um exagero as 13 indicações. mas também sei um pouco sobre a academia e digo que um filme "extra" como este ele iam se deliciar e sair indicando em tudo que podiam... =)

vamos postar os outros filmes enão depois... =PP

obs: somos do país do carnaval, mas se tem uma coisa que eu detesto são esses G.R.E.S. =\
mas tenho um pequeno prazer pela apuração: Academicos do salgueeiro... deeeeeeeeeeeeez hauiahiuau, é muito hilário =]

=**

Abraão disse...

"O Curioso Caso de Benjamin Button" é indiscutivelmente um daqueles filmes q qdo começa a passar os créditos,ninguem fala nada. Fica aquele silencio ... todo mundo com a cabeça meio torta ... piscando a cada 5 segundos ... naquela reflexão.

Filmão mesmo ... mas achei loooongo demais. Td bem q o interessante do filme é passar a maior qtde possivel d etapas da vida do cara e isso logicamente leva um bom tempo. Mas achei um pouco cansativo (só um pouco mesmo).

Qto as 13 indicações ... vamu distribuir isso neh? Oportunidade pros outros eh interessante tb.

Giva disse...

Primeiramente parabéns pelo BLOG!
Quanto a Button... Ótimo filme, entrtanto,na minha opinião, Fincher apesar de ser ótimo dietor não soube explorar bem o rico roteiro (baseado na célebre frase de Mark Twain), se levarmos em consideração a duração do filme. Por hora se torna cansativo. AChei exagerado o número de indicações, principalmente o de atriz coadjuvante e efeitos sonoro (pode ter sido o moviecom com aquele som péssimo). Quanto aos "insights" filosóficos, que patricularmente gosto, tive poucos durante o flme, não sei vocês? Talvez se o FDP de Diógenes não tivesse me contado as partes principais do filme meu comentário poderia ter sido outro!
PS:. Morar no interior da Paraíba é foda! Sem Cinema e sem internet rápida para baixar os filmes!
Até a próxima...
DICA: se alguém tentar te convencer a assitir "Desafiando Gigantes" pelo amor de Edison e os irmãos Lumière, recuse!!!Essa pessoa pode ser um Pastor ou um vendedor de Herbalife!

J. I. W. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
J. I. W. disse...

Eh um filme simplesmente excepcional.
Muito, mas muito bom realmente.
Abração, pepsi!

blogdoheu disse...

Oi! Achei seu blog no orkut, num tópico da comunidade Cinéfilos!

Gostei de Benjamin Button, mas achei Quem Quer Ser um Milionário melhor...

Aqui estão os meus comentários, no meu blog, se você quiser dar uma olhada:

http://blogdoheu.wordpress.com/2009/01/26/o-curioso-caso-de-benjamin-button/

http://blogdoheu.wordpress.com/2009/02/24/quem-quer-ser-um-milionario/

Valheu!

J.I.G.S. disse...

Adorei!!!Confesso que não sou cinéfila o tanto quanto você, mas sempre que surge uma oportunidade vejo um bom filme. A maquiagem desta obra é surrealista.

No decorrer do filme comecei a pensar no chaplin, ou melhor em um trecho de seus escritos sobre a vida. Ele falou o seguinte:

"A coisa mais injusta sobre a vida é a maneira como ela termina. Eu acho que o verdadeiro ciclo da vida está todo de trás pra frente. Nós deveríamos morrer primeiro, nos livrar logo disso. Daí viver num asilo, até ser chutado pra fora de lá por estar muito novo.
Ganhar um relógio de ouro e ir trabalhar. Então você trabalha 40 anos até ficar novo o bastante pra poder aproveitar sua aposentadoria. Aí você curte tudo, bebe bastante álcool, faz festas e se prepara pra faculdade. Você vai pro colégio, tem várias namoradas, vira criança, não tem nenhuma responsabilidade, se torna um bebezinho de colo, volta pro útero da mãe, passa seus últimos nove meses de vida flutuando... E termina tudo com um ótimo orgasmo!!! Não seria perfeito?"

Charles Chaplin

Legal , né?

bjus

Jane