domingo, 15 de março de 2009

O cão da favela que levou a melhor.


De uns tempos pra cá percebi que para ganhar o Oscar você não precisa de um orçamento astronômico de U$ 50.598.831,39 para fazer algo bom e de qualidade acontecer. Foram algumas produções modestas mas cheias de surpresas como "Beleza Americana" em 2000 " Menina de Ouro " em 2005, e "Crash, no limite" em 2006 que com orçamentos mínimos desbancaram grandes produções. Crédito para o bom senso da banca avaliadora e mais ainda para qualidade da coisa.
Querendo ou não, o Oscar ainda dá credibilidade a muitos filmes. Em um universo de milhares de produções a maioria irá optar pelo que foi previamente eleito o melhor. O que muitas vezes não é. Mas isso no momento não vem ao caso.

"Quem quer ser um milionário" surpreendeu não pelo jeito despretensioso de que como quem não quer nada foi lá e fez, mas por uma história com um ritmo perfeito. O filme começa com um jovem, chamado Jammal, indiano, que viveu parte da sua vida ao lado do seu irmão em uma Índia que pouco conhecemos, podre, a Índia que Gloria Perez resolveu omitir.
Em uma questão de sorte ou destino ele participa de um programa que intitula o filme, uma éspecie de "Show do Milhão" com um Silvio Santos mais cruel e trapaceiro.
No quadro de perguntas e respostas, por coincidencia todas as perguntas tem relação com algum momento da vida de Jammal. Desde a pergunta de quem está presente em uma nota de cem dolares, qual era o nome do 3º mosqueteiro, quem inventou o revolver ou qual o jogador que mais pontuou na história do criquete (ã?).
Pois bem, simultaneamente ao jogo de perguntas e respostas a vida de Jammal era retratada, desde a infância ao lado do seu irmão Salim e Latika, uma garota que eles acabaram por ficar amigos. A história desses "três mosqueteiros" é marcada por muitos desencontros, mas que no final nos prepara boas surpresas (clichês à parte).
Não preciso mais tecer muitos comentários em relação a história do filme, só destacar a trilha sonora que estava perfeita e a atuação das crianças que foi na minha opinião a parte engraçada do filme.

Ontem mesmo, além de "Quem quer ser um milionario" assisti "Operação Valkíria", filme que fala de uma das 15 tentativas frustadas de derrubar Hitler do poder na 2º Guerra Mundial. Foi bom, só.

Pretendo no próximo post me dedicar a um diretor que há muito tempo está me chamando a atenção, com produções como Match Point e Vicky Cristina Barcelona ( tudo bem que essas são as mais recentes) o excêntrico Woody Allen. Tentarei assistir toda sua filmografia ou ao menos parte dela para enriquecer o próximo post.

No momento estou de saída para assistir "Gomorra" e devo dizer que há um certo receio em relação ao filme, quem assistiu por favor se quiser comentar algo sobre, sinta-se à vontade.

Só mais uma coisa, devo dizer que estou muito, mas muito envolvida com assuntos voltados para a universidade, e peço um pouco de paciência em relação aos atrasos dos post´s. Devo dizer que conciliar tantos assuntos como cinema e universidade é um tanto complicado.

Sem mais, um ótimo inicio de semana e até a proxima




5 comentários:

Jof disse...

Este filme entrou pra lista dos meus prediletos!!!

Talvez por seu enredo clichê... mas nem tanto! Talvez por seu final clichê... mas que faz meu tipo, isso faz! Bela estória de gente simples que com atos simples conseguem algo na vida, e outros nem tanto assim. É a seleção natural deste mundo desigual que é a realidade de países emergentes e caóticos como os nossos (Índia e Brasil). Glória Perez com certeza não quis mostrar essa verdadeira Índia nas suas novelas, porque a globo sabe que a "nossa massa" não quer ver "semelhantes", ela quer ver algo "superior"... não interessa gente igual a ela. Exemplo disso é a mentalidade do apresentador "milionare" deles, que não queria de maneira alguma que o jovem Jamnal, por ser pobre e idêntico a ele, progredir e ser milionário como ele! São apenas regras gerais, e como todas elas, há exceções. Espero um dia que vire maioria. Belo post mais uma vez... =D

blogdoheu disse...

O que mais me impressionou com esse filme ter ganhado os prêmios não é o fato de ser uma produção "menor", e sim ser um filme do Danny Boyle. Os dois últimos filmes dele foram a ficção científica Sunshine e o terror Extermínio (excelente, por sinal). Não faz muito o estilo da academia premiar cienastas com carreiras assim...

Bem, talvez seja uma nova tendência. Quando Peter Jackson ganhou o seu Oscar por O Retorno do Rei, ele comentou algo assim, como "quem diria, o diretor de Bad Taste (filme trash que ele fez) ganhando um Oscar..." (Não sei se foram essas palavras exatamente, mas foi algo por aí...)

Bem, aqui tá o meu texto sobre o Milionário:

http://blogdoheu.wordpress.com/2009/02/24/quem-quer-ser-um-milionario/

Valheu!

p.s.: ainda não vi Gomorra, mas quero ver...

Francisco Jadson Silva Maia disse...

É um filme realmente impressionante. Impressionante na forma com que os atores mirins interpretam, na forma com que mostra realmente a cultura da Índia, na maneira com que surrateiramente interligam-se os fatos. Hollywood perdeu um pouco da simplicadade de algumas décadas atrás e os quatros oscars ganhos pelo "cão da favela" sirvam para virar os olhos do mundo para uma nova forma de se fazer cinema "comerciável".

Antonio Junior disse...

Eu sou uma negação mesmo!!! Não vi o filme! Várias pessoas que viram, disseram pra eu ir ver, mas... vou ver se me redimo pra poder postar um comentário digno do blog!!!

J. I. W. disse...

Cyntxão, eu assisti !Quem quer ser um milionário?! e achei o filme legal, mas não pretendo assistí-lo novamente.
Beijos